Fachada em ACM

Estrutura em ACM com letras em caixa de PVC EXP. sobrepostas e iluminadas

Fachada em ACM

Estrutura em ACM com letras em caixa de PVC EXP. sobrepostas e iluminadas

BACKLIGHT

Atenção necessária para aumentar o movimento de seu negócio.

ADESIVO

FORMA MAIS EFICIENTE E RÁPIDA DE SE MASSIFICAR O TEMA DE UMA CAMPANHA

OUTDOOR

mídia de baixo custo e alto poder de recall, pelo impacto visual

FRONT LIGHT

Elevado sobre um poste que exibe mensagens em grandes alturas

Fique Ligado
Notícias

O que é Mídia Impressa?

Também conhecida como mídia off-line, a mídia impressa é um meio de comunicação, o qual refere-se particularmente aos materiais, de caráter publicitário ou jornalístico, que são impressos em gráficas, birôs de impressão, ou em locais específicos.
 
O meio impresso pode ser veiculado em veículos de comunicação, como jornais; revistas; tablóides; informativos; anuários; etc, ou em peças avulsas, como folhetos; mala-diretas; folders; flyers; panfletos; cartazes; encartes; etc.
 
A comunicação sempre se fez presente em todos os estágios de evolução humana. Ainda da Idade da Pedra, dada a primeira manifestação de comunicação do homem: a Arte Rupestre - arte em rochas. As pinturas nas paredes das cavernas do período Paleolítico representam esse antigo anseio do ser humano pelo ato de comunicar. Com o crescente desenvolvimento do "Homo sapiens", o número de informações aumentou sobremaneira e a forma de repasse de tais informações, por conseguinte, se especializou. A fabricação do papel por chineses, no século VI a. C., propiciou o florescer da cultura. Mas somente com a invenção da imprensa por Gutenberg, em 1438, a propagação da informação ganhou um fabuloso impulso.
A partir do século XV, então, os novos acontecimentos políticos, econômicos ou sociais, do Ocidente, passaram a ser registrados em papeis que circulavam nas áreas mais habitadas de cada país. Surgem, pois, as primeiras impressões efêmeras da humanidade: as gazetas, com informações úteis sobre a atualidade; os pasquins, folhetos com notícias sobre desgraças alheias e os libelos, folhas de caráter opinativo. Da combinação destes três tipos de impressos resultaria, no século XVII, um gênero intitulado jornalismo.